Estamos em guerra 728×90

 

Em poucos dias a nação estará escolhendo um novo presidente. Nada mais oportuno do que abordar este tema, no presente momento. Pensar e tomar uma decisão acertada não é uma opção, mas um dever cívico, de todos os cidadãos e cidadãs.

Os principais, mais graves e urgentes problemas do país são: 1.-Recessão econômica crônica e prolongada; 2.-Um total de 13 milhões de brasileiros desempregados; 3.-Enormes déficits anuais do governo federal, sem perspectivas de diminuição; 4.-Excesso de estatizações desnecessárias, mal feitas e provocando grandes perdas financeiras anuais para o tesouro; 5.-Endividamento externo enorme e muito além do admissível (provocando custos financeiros altíssimos); 6.-O tamanho do estado é grande demais, custoso, ineficiente, injusto e precisa ser reduzido de forma drástica e urgente; 7.-Interesses pessoais, corrupção, deficiências e morosidade da justiça desestimulam investidores externos e 8.-Precisamos mudar nossas prioridades macro econômicas, abandonando o modelo “socialista” e partindo em busca do “capitalismo”, como fazem as nações mas prósperas do mundo; 9.-Política maldosa de significativos empréstimos subsidiados, privilegiando determinados grupos nacionais, manipulados pelos governantes, com fins políticos…

O presidente ideal para o país é um candidato que seja: 1.-Competente; 2.-Experiente; 3.-Íntegro; 4.-De elevado espírito público; 5.-Que tenha habilidade política no relacionamento com os demais poderes da república; 6.-Importante: que tenha uma “visão” correta dos reais problemas do país e que forme uma equipe competente, com os mesmos valores do presidente, capazes de identificar e implementar soluções rápidas e eficazes, drásticas e impopulares. Nós precisamos de um “líder” autêntico, que nos conduza com firmeza, num processo de amplas e profundas reformas.

Se não encontrar uma pessoa com as características acima, esforce-se para escolher a que mais se aproximar deste perfil. Esta é minha opinião pessoal, salvo melhor juízo.

A França era até pouco, digamos, um país de esquerda. Pois bem, elegeu um presidente de direita, jovem e empresário, com ideias liberais, capitalistas, revolucionárias, e agora vem crescendo e se desenvolvendo de forma impressionante, projetando-se no cenário econômico mundial como um novo líder, não só na economia como nos esportes (campeão mundial de futebol, evolução admirável no vôlei etc).

Espero que você que nos lê, Empresário, Administrador ou Empreendedor, tenha a sabedoria de votar com acerto e, além disso, a habilidade de influenciar outras pessoas. Chega de amadores, populistas e corruptos! Precisamos de um estadista e de um líder; que seja capaz de colocar o Brasil na posição que lhe cabe (5º maior PIB do mundo, população e extensão territorial, o que nos traz deveres e responsabilidades a cumprir). É imperioso não errar. Este é um privilégio que a democracia brasileira nos concede. E que Deus ponha seus olhos sobre o povo brasileiro, que não merece tantos desmandos e erros, incompetências e injustiças. Eu creio nisso e no futuro deste país! Todas estas ideias, pensamentos e visão são pessoais do autor do artigo, e não refletem, de forma alguma, a opinião do Jornal Extra de Rondônia, a respeito deste tema.

Texto: Humberto Lago/Consultor Empresarial

Estamos em guerra 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO