Estamos em guerra 728×90

 

Fiscalização aconteceu em janeiro de 2018 / Foto: Ilustrativa

O agente Felipe Ferreira Braga, do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), lotado na Ciretran de Vlhena, foi demitido do cargo na última segunda-feira, 2 de setembro.

A portaria 1879/2019/Detran-CTEC foi assinada pelo diretor geral do órgão, Neli Aldrin Faria Gonzaga, diretor geral do órgão estadual, obtida com exclusividade pelo Extra de Rondônia junto ao Diário Oficial do Estado, justifica o ato “considerando o resultado do processo administrativo disciplinar” contra o agente.

Felipe foi alvo de inquérito por ter sido detido em 2018, acusado de prevaricação ao supostamente fraudar teste do bafômetro pra beneficiar um Polícia Rodoviário Federal.

O fato aconteceu na madrugada de 20 de janeiro, durante blitz de fiscalização da “Lei Seca” na Avenida Marques Henrique, no Centro de Vilhena. Preso por policiais que trabalhavam na ação, Felipe foi conduzido à Unidade Integrada de Segurança Pública (UNISP) para o registro do flagrante (leia mais AQUI).

No mesmo dia, em entrevista ao Extra de Rondônia, Felipe deu a sua versão dos fatos e disse que não houve irregularidades, haja vista que apenas ofertou água ao policial devido a este ter alegado que havia tomado apenas uma cerveja no início da noite, “ação que é comum”, pois assim como ao agente federal, a todos aqueles que afirmam terem ingerido uma pequena quantidade de álcool há um tempo considerável, é ofertada a bebida e aguardado certo tempo para que se confirme de fato que este não se encontra em estado de embriaguez.

Garantiu, ainda, que a realização do teste foi realizado adequadamente. “Toda ação suspeita deve ser averiguada independente de quem a pratique, por isso não recrimino a atitude dos policias. Eles estavam fazendo o trabalho deles e agiram certo diante da dúvida”, disse ele, na oportunidade (leia mais AQUI).

 

Estamos em guerra 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO