Câmara de Porto Velho / Foto: Reprodução da internet

Após três meses da denúncia e representação encaminhada pela jornalista Victoria Bacon ao Ministério Público junto ao Tribunal de Contas, que narrou a ausência de transparência e ferramentas de acesso à informação da Câmara de Vereadores de Porto Velho, a Controladoria da CMPV está atualizando os gastos dos vereadores, assessores e manutenção administrativa.

A jornalista encaminhou à procuradora-geral Érika Saldanha que acatou a representação, intimou a presidência da Câmara para que providenciasse as ferramentas de transparência, controle e acesso à informação do cidadão.

Ainda, a douta representante do MPC representou a CPMV (presidente e controlador) junto ao Tribunal de Contas para que cumprisse as determinações da legislação federal que está sob a égide do conselheiro Francisco Carvalho.

Há mais de três anos a Câmara de Vereadores de Porto Velho não atualizava ou burlava informações acerca de dados como diárias, compras, viagens, enfim, a devida transparência dos gastos públicos para manter os vereadores, assessores, servidores estatutários, colaboradores e toda a sua estrutura administrativa.

“Com a nossa intervenção enquanto jornalista e cidadã conseguimos juntar as provas necessárias do não cumprimento da legislação federal por parte da CMPV e o Ministério Público agiu rapidamente”, destacou a jornalista.

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO