Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro foi franco, quando respondeu ao apresentador e jornalista Everton Leoni, sobre o futuro das obras da BR 319, na entrevista exclusiva que concedeu à SICTV/Record, nesta semana.

Há sim, disse ele, todo o empenho do seu governo para que a obra seja concluída até Porto Velho, tirando Manaus do isolamento, por terra, do restante do Brasil. Mas reconheceu, ao responder, que as ações judiciais propostas pelo MPF e por ONGs pode, sim, afetar o projeto. Bolsonaro destacou que todos sabem que a rodovia é vital para a região e que o ministro Tarcísio de Freitas, o tocador de obras, fará de tudo para que ela seja concluída.

Não falou claramente, mas deixou nas entrelinhas que será um grande desafio fazer os 900 quilômetros da rodovia até 2023, como planejado. O Presidente falou também em várias outras obras em andamento, como a ferrovia norte-sul, que começa a se tornar realidade e lembrou que o modal ferroviário passa a ser prioridade no país. Mas, em muitas obras planejadas, há sim questões e questiúnculas ambientais que têm impedido o andamento dos projetos e mantido regiões inteiras do país no atraso.

Os amazonenses, que, pelo isolamento, pagam os preços mais altos de alimentos em todo o país, estão desesperados para que o asfaltamento da BR 319 saia do papel. As bancadas federais do Amazonas e de Rondônia, principalmente, estão juntas nesta proposta. Milhões de amazônidas têm esperança de que a obra seja mesmo concluída.

O Presidente da República quer, o governo quer, a sociedade quer, a população exige. A BR 319, que já foi toda asfaltada e se deteriorou pelo abandono programado de governos à esquerda, é uma espécie de síntese do que se transformou nosso país. Refém de entidades internacionais, de brasileiros que mais valorizam as teorias deles do que as nossas; de ingênuos militantes que repetem bobagens (como as que toda a Amazônia está sendo destruída!), quem vive nesta terra da floresta não tem vez e nem tem voz.

Infelizmente, quem tem mesmo o poder de mando, no Brasil, são as minorias: a esquerda barulhenta, as ONGs que defendem interesses internacionais; parte do Ministério Público militante e parte do Judiciário. E, por trás de tudo, leis produzidas para o atraso e o sofrimento de quem aqui vive, nessa terra tão cobiçada por potências de todo o mundo. Eles destruíram o seu meio ambiente. Agora, querem nos dizer como manter o nosso intacto, para usufruto deles, não nosso, mesmo que isso represente graves prejuízos a milhões de brasileiros.

Em contrapartida, quando são confrontados com esses ideais retrógradas, muitos desses grupos vociferam no exterior contra seu próprio país, pedindo que se cortem apoios à Amazônia, porque o que conta são apenas suas propostas, suas ideologias e a defesa de interesses que são muito distantes de nossas fronteiras internas. Bolsonaro tem razão. Quando se fala em BR 319, há que se manter um pé atrás, até porque, mesmo eleito por ampla maioria de brasileiros, não é ele quem manda no Brasil!

TRANSPOSIÇÃO: BOLSONARO DIZ QUE QUER OUVIR ALGUÉM DA BANCADA FEDERAL

Ainda sobre a entrevista do presidente Bolsonaro ao programa SICNews, da SICTV/Rondônia: Everton Leoni, atendendo pedido de inúmeros telespectadores, questionou o Presidente sobre a situação da transposição dos servidores rondonienses para os quadros da União, assunto que empacou no atual governo. Depois de dizer que precisa ter mais informações sobre o assunto, para poder se manifestar melhor, Bolsonaro surpreendeu, pedindo que “alguém da bancada federal de Rondônia”, fosse tratar desse assunto com ele.

Pelas informações que se tinha, tanto deputados quanto senadores já trataram do tema inúmeras vezes, principalmente junto à comissão criada pelo próprio governo federal, com a responsabilidade de analisar os processos. O que ficou subentendido é que o assunto não teria sido levado, ao menos até agora, diretamente ao Chefe da Nação. Bolsonaro deixou claro que está aberto a debater o assunto e repetiu que algum representante da nossa bancada trate o tema com ele. Chegou a citar nominalmente o senador Marcos Rogério, hoje um dos personagens da política mais próximos do Presidente. Portanto, a deixa está dada: bancada federal, corra para levar o caso da transposição diretamente ao comandante do Planalto.

FORÇA NACIONAL CHEGA COM MISSÃO DE ACABAR COM GUERRILHA NO ESTADO

Os “homi” chegaram! Autorizada pelo presidente da República, com o aval do Ministério da Justiça, a Força Nacional de Segurança chega ao Estado para dar fim à guerrilha rural imposta no Cone Sul e região dos distritos de Porto Velho, por grupos como a Liga dos Camponeses Pobres (LCP). O secretário de Operações Integradas do Ministério, Alfredo Carrijo e o governador Marcos Rocha, explanaram as atividades da Força Nacional, no combate a invasões de terras por grupos armados no Estado, numa entrevista coletiva que oficializou a parceria com o Estado.

Carrijo destacou que Bolsonaro e o ministro da Justiça, Anderson Torres, atenderam o pedido de Rocha pelo apoio da Força Nacional, pois há forte indícios de crimes ambientais, roubo de gado e extorsão, entre outros”. Ele esqueceu de citar outras suspeitas de crimes, como agressões a peões, uso de armamento pesado e até assassinatos. Ainda, nesta semana, a Força Nacional, Polícia Federal e outros órgãos irão atuar nas localidades que foram invadidas pela denominada Liga Camponesa dos Pobres.

EM PORTO VELHO, VACINA CHEGA PARA QUEM TEM ENTRE 55 E 59 ANOS

Foi neste espaço um dos protestos sobre o Festival Nacional de Prioridades da Vacinação, em detrimento de pessoas que estão na fila há muito tempo. Por exemplo: quem tem entre 55 e 59 anos, estava na fila há semanas, enquanto o pacote das chamadas prioridades avançava cada vez mais. Em algumas cidades, contudo, no dia seguinte as coisas começaram a mudar. A Prefeitura de Porto Velho, por exemplo, anunciou e já está vacinando, de quarta e até esta sexta-feira, pessoas acima dos 55 anos.

Os  chamados grupos de risco só aumentam. Agora se incluíram neles, na Capital, além de todos os que já se conhecem, os trabalhadores no transporte coletivo. Na semana que vem, as vacinas serão aplicadas em caminhoneiros. Os motoristas de aplicativos e os mototaxistas também querem, assim como os taxistas. E assim as vacinas vão se esvaindo, enquanto pessoas de faixas etárias abaixo dos 55 anos e sem comorbidades ou que não estejam em grupos de risco, por exemplo, ficam esperando que, um dia, alguém se lembra que eles existem.

ANVISA AUTORIZA 36 MIL DOSES DE SPUTNIK PARA RONDÔNIA

O governo de Rondônia foi autorizado, na noite da quarta-feira, a importar as primeiras 36 mil doses da vacina russa Sputnik V, pela Anvisa. É o segundo lote que a agência aprova para o país. A primeira teve algo em torno de 960 mil doses e agora, outras 592 mil foram autorizadas, incluindo-se aí as doses liberadas para Rondônia. É sempre bom lembrar que a Anvisa liberou a importação do produto da Rússia com várias restrições, incluindo, numa decisão que parece ser inédita, a de que não se responsabiliza pelo seu uso.

Os demais Estados beneficiados: Rio Grande do Norte, 71 mil doses; Mato Grosso, 71 mil doses; Pará, 174 mil doses; Amapá, 17 mil doses; Paraíba, 81 mil doses e Goiás, 142 mil doses. Nos próximos dias, seguidos os trâmites legais e burocráticos, devem começar a chegar as vacinas que serão distribuídas para a Capital e cidades do interior, certamente na proporcionalidade de outras vacinas que estão sendo espalhadas. O governador Marcos Rocha deve dar detalhes do assunto ainda neste final de semana.

DESRESPEITO À PANDEMIA: UM CASO DIFERENTE EM CACOAL

Um inquérito está em andamento pelas bandas de Cacoal, causado por uma festança para mais de duas centenas de pessoas, ocorrida numa daquelas casas grandes, onde é possível juntar tanta gente. Foi há dias atrás. Várias denúncias chegaram à Polícia Militar pelo 190. Organizada por acadêmicos de Medicina, a festa tinha muitos jovens, muita bebida e vários menores. Barulheira infernal. Não se descobriu gente usando máscara ou evitando aglomeração.

Toda a história seria igual a tantas outras que se registram não só em toda a Rondônia, como em todo o país, se o caso não tivesse uma particularidade: entre os promotores do evento, estaria não só uma importante autoridade como, ainda, o filho de outra, desses que deveriam estar na linha de frente, combatendo esse tipo de ilegalidade, por causa da pandemia que estamos vivendo. O delegado que recebeu a ocorrência ouviu os depoimentos dos PMs sobre o que e quem eles encontraram no local e determinou abertura de sindicância. O assunto percorre os bastidores em Cacoal, todos falando baixo, porque envolveria gente muito importante da cidade. Não se sabe por onde anda a tal sindicância e nem se ela está caminhando. Silêncio total, ao menos até agora.

MAIS UMA PÉSSIMA NOTICIA: ENTRAREMOS 2022 COM ENERGIA MAIS CARA

Atenção brasileiros em geral e rondonienses em particular! Todos já podemos começar a sofrer desde agora, porque a Aneel já está avisando que as contas de energia a partir de janeiro de 2022, já começarão a chegar com “pelo menos” 5 por cento de aumento sobre os valores de dezembro. Como no Brasil, o consumidor, mesmo não tendo culpa, paga todas as contas, já que em todos os estágios de governo parece que a missão é tirar até o último tostão da população, vamos pagar a conta de novo.

A falta de chuva, que a Aneel apelida, tal qual a tradicional fala dos tucanos, de “crise hídrica”, atinge as hidrelétricas do país. Já estamos vivendo com a tarja vermelha nas nossas contas de consumo de energia e vamos pagar mais ainda. As únicas boas notícias vinda Aneel, nos últimos tempos são duas: ela se estatizada em breve, para acabar com esse espírito sanguessuga em relação ao contribuinte e, a outra, é que ela proibiu oficialmente o corte de energia, por falta de pagamento, até o fim de setembro.

AULAS PRESENCIAIS: DEPUTADO QUER VOLTA IMEDIATA ÀS ESCOLAS

O deputado Eyer Brasil defende a volta imediata das aulas presenciais nas escolas públicas do Estado. Esse foi o tema central do discurso na Assembleia, nesta semana, quando o parlamentar do PSL confirmou que apresentará projeto de lei nesse sentido em breve, considerando as aulas presenciais como atividade essencial para o Estado, na Assembleia. Para Eyder, o fechamento das escolas causou graves dificuldades principalmente para os estudantes de famílias mais pobres.

Analisou ainda que o ensino à distância, determina às famílias dos estudantes de renda mais baixa, gastos com equipamentos eletrônicos e internet de qualidade, que, para a maioria desses casos, tornam-se gastos insuportáveis. Por enquanto, não há previsão para a volta normal ao ano letivo. O governo está trabalhando com a possibilidade de que, em cerca de dois meses e meio, por volta de setembro, quando todos os professores e demais servidores da educação estiverem vacinados com as duas doses, só então haveria retorno presencial às escolas. Eyder Brasil quer encurtar em muito este prazo.

PERGUNTINHA

Fora do Poder e abandonado por todos, você ficou com pena de Rodrigo Maia por ter sido expulso do DEM ou acha que foi castigo merecido?

sicoob credisul
vacina 728×90

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO