Foto: ilustrativa

O juiz de Direito Andresson Cavalcante Fecury, da 1ª Vara Cível de Vilhena, acatou o pedido do Ministério Público (MP/RO) e bloqueou os bens de ex-servidores da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambientam (Sedam/RO). Eles são acusados, de acordo com a instituição de fiscalização e controle:

“[…] em 2016 os agentes públicos José Trindade Lobato e Pedrinho Müller, expediram laudos de vistoria e autorizações especiais eivados de falsidade, de modo a beneficiar os particulares Jovair Renato Fuck, Tilara Fuck, Jorge Schatz e Antônia Maria de Souza Conrado, que puderam ampliar as áreas usufruíveis de seus bens imóveis rurais em detrimento de áreas de reserva legal”.

Em seguida, anotaram os promotores:

“Agindo assim, os requeridos/agentes públicos atentaram contra os princípios da legalidade, impessoalidade, de eficiência e da moralidade administrativa, bem como

causaram dano ao erário e propiciaram enriquecimento ilícito por parte dos particulares envolvidos”.

O magistrado, então, decidiu:

“No caso, o autor apresentou como estimativa com relação a multa civil a ser aplicada ao caso concreto, o valor de R$154.141,89 (cento e cinquenta e quatro mil, cento e quarenta e um reais e oitenta e nove centavos), individualizado para cada requerido. Nesse passo, entendo plausível o deferimento da indisponibilidade dos bens dos referidos réus até o valor informado no item 04, do quadro 01, da petição inicial”.

sicoob credisul

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO