Foto: Extra de Rondônia

Um atentado ocorrido na noite de sábado, 20, em um bar de nome “Tô no Trabalho”, localizado na Avenida Rondônia, em Vilhena, pode ter sido motivado por guerra de facção, devido a vítima fazer parte do Comando Vermelho (CV) e recentemente já ter sido presa pelo crime de roubo.

De acordo com informações obtidas pela reportagem do Extra de Rondônia, no momento do crime, onde a garçonete foi alvejada com dois tiros, sendo um deles na cabeça, a principal suspeita era de que um cliente, que na noite anterior havia tentado roubar o celular de outro o arrastando a força para dentro do banheiro do local, teria voltado para se vingar devido ter sido contido pelas funcionárias e preso.

Porém, a reportagem do site confirmou que não havia possibilidade de ser o referido suspeito, uma vez que este havia sido flagranteado pelo delegado de plantão, exatamente para proteger as mulheres, uma vez que o homem ameaçou voltar ao local para se vingar.

Já de acordo com a vítima, que mesmo ferida conseguiu falar com a Polícia Militar, a própria acredita que o crime foi cometido por um integrante da facção rival a dela. A jovem relatou ainda que há pouco tempo, havia cumprido pena pelo crime de roubo na cidade de Pimenta Bueno.

Minutos antes de atirar na garçonete, o agente se sentou e pediu uma cerveja, porém, quando a vítima foi lhe servir ele a agarrou pelo braço e sacou de uma arma de fogo a atingido com dois tiros.

Devido a gravidade das lesões, a jovem foi transferida para a cidade de Cacoal e o atirador não foi localizado.

sicoob credisul

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO