Adilson e Japonês

O presidente da Câmara de Vilhena, Adilson de Oliveira (PSDB) surpreendeu as pessoas presentes na sessão ordinária legislativa desta terça-feira, 3, ao criticar o recém-empossado prefeito Eduardo “Japonês” (PV).

Ao ocupar a tribuna da Casa de Leis, Adilson, que até domingo, 1, era prefeito interino, lamentou a postura de Japonês após ser empossado em cerimônia realizada no parque de exposições. Leia AQUI

De acordo com ele, “o primeiro ato do prefeito foi gerar despesas aos cofres públicos” ao fazer a exoneração em massa de mais de 400 servidores comissionados da prefeitura.

Adilson explicou que abriu as portas da prefeitura para que Japonês pudesse acompanhar as ações. “No domingo fiquei muito triste quando saí de lá (dia da posse), e vi a exoneração total dos servidores. Eu abri as portas para ele poder acompanhar e, se quiser, trocar os secretários. Ele teve tempo hábil para isso. Eu não gostei disso, porque gerou despesas para nosso município. O primeiro ato do nosso prefeito foi gerar despesas para os cofres públicos. Quando eu tiver oportunidade de falar com ele pessoalmente, vou dizer que ele errou. Mas eu espero – e acredito, que ele venha  corrigir esses erros e fazer o melhor, porque foi pra isso que nos confiamos nele”, frisou.

Ao Extra de Rondônia, Adilson esclareceu que, com o ato de exoneração, “Japonês” gerou mais dívidas para o município, que hoje bate a casa dos R$ 4 milhões.  O presidente da Câmara se referiu às despesas com relação às rescisões dos servidores exonerados.

DEVER CUMPRIDO

Adilson aproveitou a oportunidade para fazer um breve balanço dos 60 dias que ficou à frente do Executivo Municipal vilhenense. “Em 60 dias fiz o melhor de mim. Tenho certeza que consegui realizar um excelente trabalho, juntamente com toda a equipe que tive, secretários e servidores. Gostaria que cada vereador estive na prefeitura alguns dias para que conheçam como funciona realmente o sistema.  Saímos desses 60 dias com o dever cumprido”, salientou.

ALIADO DE JAPONÊS

Na sessão, ainda, o presidente da Câmara disse que pediu votos para Japonês e que isso lhe traz responsabilidade para exigir ações concretas do novo prefeito. “Peço hoje, que vocês peçam a Deus para que o nosso prefeito Eduardo Japonês consiga fazer um excelente trabalho para a população de Vilhena. É tudo isso que esperamos e queremos. Eu ajudei e pedi voto pra ele dia e noite. Por isso, que eu vou cobrar. O mínimo que posso exigir é que ele faça um trabalho de excelência”, encerrou.

“Quando eu tiver oportunidade de falar com ele pessoalmente, vou dizer que ele errou.”, diz Adilson, sobre ato de Japonês

 

Texto: Extra de Rondônia

Foto: Extra de Rondônia


COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO