covid – 768×90-2
Maria José, Célio Batista e Valdete Savaris garantem que são contrários por “crise” em Vilhena
Maria José, Célio Batista e Valdete Savaris garantem que são contrários por “crise” em Vilhena

A Exposição Agropecuária de Vilhena encerrou, mas a polêmica em torno de repasse financeiro de R$ 65 mil (R$ 50 mil para Expovil e R$ 15 mil para a Câmara dos Dirigentes Lojistas-CDL), feito pelo Município, para apoiar a realização da festa agropecuária, continua repercutindo no município.

Na manhã desta terça-feira, 7, em sessão ordinária, entretanto, uma pergunta interessante foi respondida: quem são os vereadores que aprovaram o repasse? Todos. Ocorre que o repasse financeiro à Associação Vilhenense dos Agropecuaristas (Aviagro), responsável pela realização da festa, foi votado no Orçamento Geral, no final de 2014. E na ocasião, apesar de agora serem contrários, os vereadores Célio Batista (PP), Maria José da Farmácia (PDT) e Valdete Savaris (PPS), votaram favoráveis.

Tendo sido a mais ferrenha parlamentar contra o repasse, argumentando existir suposta crise financeira nas contas do Município, Maria José nem se lembrou que aprovou o recurso no Orçamento. Ela recebeu a “ajuda” do vereador Junior Donadon (PMDB). “A senhora não se lembra? Ou aprovou o Orçamento Geral sem ler? Temos que prestar mais atenção com o que fazemos e respeitar a opinião dos outros. O Projeto do repasse foi até retirado da pauta para que a votação seja a mais democrática possível, tendo a participação de todos os colegas”, observou o presidente do Poder Legislativo.

Valdete Savaris, que ficou até surpresa com a questão levantada pelo presidente da Casa de Leis, tentou justificar: “Eu disse que não sou contra a Expovil, mas sim contra o repasse pela situação econômica do Município, já que poderia sem investido na Saúde ou Educação. Porém, estas discussões são boas, importantes, que melhoram o nível do parlamento”, enfatizou. Já Célio Batista não se manifestou.

Junior Donadon adotou essa postura para contestar pergunta feita por Maria José, uma vez que o vereador afirmou, em entrevista à imprensa local, que “o Município está bem tecnicamente”. O vereador explicou que sua fala deve-se a dados que comprovam investimentos constitucionais em setores básicos, como Saúde e Educação. Na sua opinião, o que falta é visão de gestão. “Na Educação, por exemplo, o mínimo constitucional da aplicação do recurso é de 25%, e em Vilhena foi 26%; Na Saúde é 15%, e a aplicação foi de até 27%; a arrecadação mensal do município é de quase R$ 20 milhões. Tendo isto como base, é fácil dizer que há um problema de gestão”, frisou.

Os vereadores Vanderlei Graebin (SDD), Jairo Peixoto (PP) e José Garcia (DEM) reforçaram as palavras de Junior Donadon. “A festa é tradicional e é realizada há 30 anos. Dinheiro tem, agora o que falta mesmo é gestão”, ponderou. Por sua vez, José Garcia respondeu às críticas de Valdete Savaris. “ A senhora não sabe o que está falando. Hoje é fácil jogar pedra, mas essas críticas não condiz com a realidade. Augustinho Pastore (ex-presidente da Aviagro) renunciou porque não aguentou a pressão de se fazer uma festa desse porte. R$ 50 mil não quebra o Município. Parabéns à Aviagro por realizar uma festa tão boa”, finalizou o vereador do Democratas. Jairo Peixoto resumiu: “Votei a favor e não me arrependo”.

Semana passada, Junior Donadon, por ser Presidente, não participou da votação em plenário, já que ele apenas se manifesta em caso de desempate.

 

Texto: Extra de Rondônia

Foto-montagem: Extra de Rondônia

covid – 768×90-1

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO