Vereador comentou caso do setor 19/ Foto: Assessoria

Na sessão ordinária do último dia 21, o vereador Rafael Maziero (PSDB) usou a tribuna para comentar o Projeto de Lei nº 5.640/2019, de autoria do Poder Executivo, que autoriza a inclusão da atividade de organização religiosa na quadra 49 do setor 19, e cobrou da prefeitura mais fiscalização e organização da expansão urbana do município, especialmente pela aprovação de um Plano Diretor para Vilhena.

“Na prática, esse projeto significa que o setor 19 se tornou, e está se tornando, cada vez mais residencial, sendo que foi criado para ser um bairro industrial. Isso significa que, ao longo do tempo, a prefeitura autorizou ou simplesmente não fiscalizou essa expansão residencial no bairro”, comentou o Vereador.

O edil sustentou que essa expansão residencial sobre bairros industriais pode se tornar um problema para o município e para os empresários no futuro, pois prejudica as empresas que há muito se instalaram nos bairros que prometiam ser exclusivamente industriais.

“A gente cria um bairro e estabelece que ali só deveriam se instalar indústrias e comércios, como foi o caso do setor 19, em 1997, mas depois a Prefeitura se omite no dever de fiscalizar o avanço das residências no bairro. Aí, 20 ou 30 anos depois, surgem problemas para os moradores, como o ruído das empresas, o fluxo de veículos pesados, a falta de serviços públicos e o que faremos? Vamos expulsar as empresas que investiram milhões de reais para se instalar naquele bairro e geram centenas, talvez milhares de empregos? Nós temos lá o setor 13 também. Temos que proteger as empresas que se instalaram no 13 e geram riqueza e empregos no município, mas se nada for feito, um problema pode surgir lá também”, criticou Maziero.

Por fim, o vereador ressaltou a importância de um Plano Diretor eficiente para o município: “O Plano Diretor organiza essa expansão urbana para os próximos 30, 50 anos. É a cidade que queremos ver no futuro. Ele tem que ser seguido e respeitado, não importa qual gestor esteja ocupando a cadeira. O município não pode ser pensado apenas para os próximos 4 anos”, asseverou.

O Plano Diretor do município é uma necessidade aguardada há muito tempo, mas ainda não foi elaborado e encaminhado pela prefeitura, que agora aguarda a conclusão do projeto de macro estruturação do município, em desenvolvimento pela equipe de arquitetos urbanistas do escritório do curitibano Jaime Lerner.

 


COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO