Jair Bolsonaro durante live / Foto: Divulgação

O jornalista Augusto Nunes em análise à Jovem Pan no programa  “Pingo nos is” foi categórico ao afirmar que nunca houve na história  política brasileira um presidente da República tão perseguido como  Jair Bolsonaro.

Nunes tem 50 anos de atuação jornalística  completados na sexta-feira, 06 de agosto de 2021. Quando o  jornalista diz que nunca houve um presidente tão  perseguido, ele se refere às cinco décadas que cobriu matérias dos  bastidores da política brasileira.

Augusto Nunes tem propriedade para tal. Dirigiu o jornalismo do  Estadão, passou pela Época e Forbes, Jornal do Brasil e Zero Hora.  Foi vencedor do prêmio “Esso de Jornalismo”. É colunista da Revista  Veja até hoje e âncora de análises políticas na Record TV. Foi um assíduo crítico do governo Lula, acusando-o de prática de corrupção,  tentativa de controle da imprensa e de cerceamento da democracia.

Durante suas falas no programa da Jovem Pan, Augusto Nunes  disse que o presidente Bolsonaro só não é atacado por quem  realmente votou nele e ainda está com ele como eleitor e como  apoiador. Ele é acusado constantemente de planejar um golpe para  fechar o STF e ao mesmo tempo de retomar a velha política se  aliando ao Centrão. Também é acusado de genocida por ser o único  responsável pelas mortes causadas pela pandemia da Covid-19,  inclusive em São Paulo, estado da federação onde houve o maior  número de mortes e que a articulação foi totalmente feita pelo  governador oposicionista João Doria, que se tornou crítico ferrenho  do presidente. Nas palavras de Augusto Nunes:

1.Getúlio Vargas, em 1954, não foi defendido pelo povo naquela  ocasião, pois, a população não sabia exatamente o que estava  acontecendo nos bastidores e os jornais só noticiavam (rádios e  jornal impresso) matérias com ataques ao Governo Vargas. Só  depois do suicídio consumado é que o povo foi as ruas para protestar  contra àqueles que articularam a queda de Vargas. Resultado: todos  os articuladores da queda de Vargas ficaram escondidos por dias  com medo da revolta popular. Vargas tinha a maioria da população  do seu lado. Os getulistas, apoiadores e eleitores de Vargas, jamais  teriam permitido que Carlos Lacerda consumasse seus planos de  derrubar Getúlio de uma forma que acabou tragicamente, o seu  suicídio acompanhado de uma carta testamento, em agosto de 1954. Diferente de Vargas e seu trágico fim político, mesmo com a maioria  da população lhe apoiando, esse mesmo desfecho não se repetirá  com Bolsonaro.

2.Hoje temos as Redes Sociais que não existiam na ocasião de Getúlio  Vargas. Os bolsonaristas estão como soldados defendendo o  presidente dos ataques orquestrados diariamente por aqueles que  desejam a qualquer custo vê-lo fora da presidência. Fato,  simplesmente fato!  Independente dos números trazidos pelas pesquisas que não tem  compromisso com a verdade, estas serão desmascaradas pelas  urnas em 2022 e mostrarão que Bolsonaro está muito a frente dos  outros candidatos, inclusive de Lula que aparece fantasiosamente  em primeiro em todas as pesquisas para a corrida eleitoral.

3.Claro que é esperado que os farsantes das pesquisas eleitorais  dirão que é o retrato político do momento. Não terão a dignidade de  aceitar que Bolsonaro vencerá e nas urnas, mesmo com todo esse  imbróglio de evidências reais de fraude nas eleições de 2018.

4.O golpe não é o presidente quem está articulando. Quem articula  o golpe diariamente são membros do STF em conivência com  deputados e principalmente senadores da CPI da Covid-19, que tem  o único objetivo de desgastar o presidente perante à população e  assim queimá-lo de vez, produto para uma combustão de um golpe  articulado minuciosamente para tirar a qualquer custo Bolsonaro da  Presidência da República.

5.O cinismo escancarado de Renan Calheiros, Omar Azis, Alexandre  de Moraes, Randolfe Rodrigues, Luis Barroso, que sequer analisarem as provas apresentadas ontem, durante entrevista do  presidente Bolsonaro à Jovem Pan e depois confirmada em sua Live  sobre a corrupção e fraude nas urnas e consequentemente nas  eleições de 2018.

6.Bolsonaro simplesmente teria vencido no primeiro turno e eles  sabem disso. Essas denúncias com provas apresentadas pelo presidente Jair Bolsonaro acompanhado de um profissional em  Ciência da Computação com larga experiência em código-fonte,  deveriam ao menos um exame real e não o menosprezo daqueles  que se consideram uma espécie de donos do Brasil e que acham que  o povo brasileiro são um bando de idiotas.

7.O povo também sabe que a aliança de juízes da mais alta Corte da Justiça do Brasil com senadores idealizadores da CPI da Covid-19 que deveriam estar na cadeia só tem uma definição: golpe e ponto final.

Augusto Nunes / Foto: Divulgação
sicoob credisul

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO