Jaqueline Cassol na redação do site de notícias / Foto: Extra de Rondônia

A deputada federal Jaqueline Cassol (PP) cumpriu agenda nesta sexta-feira, 27, em Vilhena.

Ela visitou a redação do Extra de Rondônia para falar sobre investimentos no Estado e organização do partido para as eleições de 2022.

Durante a conversa com a reportagem, Jaqueline destacou que o Partido Progressistas (PP) é forte no Estado de Rondônia e a nível de Brasil tem como representantes o presidente da Casa Civil, Ciro Nogueira, e da Câmara dos Deputados, Arthur Lira.

“Para o ano que vem pretendemos eleger dois deputados estaduais, dois federais e, se possível, lançar Ivo Cassol como governador. Demos uma parada no Estado e não definimos uma nominata, até porque estávamos aguardando a análise do ‘Distritão’. Tudo indica que o Senado não aprovará e será mantido o formato de 2020 com nominata pura”, detalhou.

A parlamentar narra que para 2022 o foco é o fortalecimento de políticas públicas para as mulheres, jovens e homens e comentou questões jurídicas que envolvem seu irmão, o ex-governador Ivo Cassol. “Teremos excelentes nomes na disputa. Lançarei também minha pré-candidatura ao Senado e queremos que Ivo Cassol seja mais uma vez nosso governador. Muitos questionam a situação jurídica de Ivo (Cassol) mas, pela decisão do ministro Cássio Nunes, do STF, ele está apto a disputar as eleições”, contou ela.

Jaqueline informou, ainda, que existe a possibilidade do atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido) lançar sua candidatura pelo PP, e reforçou que, na última semana, houve uma reunião com o ministro chefe da Casa Civil que afirmou estar em negociação com ele.

 PROJETOS

Jaqueline relembrou a aprovação da lei “Henry Borel”, de sua autoria, que trata do enfrentamento a violência doméstica contra crianças e adolescentes, e sua mais nova conquista: o projeto de dignidade menstrual.

A proposta contou com mais de 30 autores e foi a primeira relatoria da deputada. O projeto foi aprovado por unanimidade e irá para o Senado. “Falar de menstruação ainda é um tabu. Hoje tem se tornado um problema de saúde pública. Isso porque muitas meninas deixam de ir à escola por não ter dinheiro para comprar absorvente e outras têm até problemas de saúde. Na pesquisa que fizemos foi comprovado que é usado miolo de pão, plástico, pano velho, e isso se torna algo sério”, observa.

Com a aprovação da lei, meninas e mulheres que estão na rede pública de ensino do CadÚnico, moradoras de ruas ou de extrema vulnerabilidade e apenadas serão atendidas.

MANDATO

Em relação aos seus dois anos e meio de mandato, a deputada se diz muito satisfeita porque conseguiu ser autora, relatora e co-relatora de projetos de extrema importância para a sociedade.

“Foram mais de R$ 160 milhões para os 52 municípios de Rondônia. Tivemos a implantação de projetos como o ‘Visão’ para realização de cirurgias de cataratas e pterígio, além de investimentos na educação. Inclusive, estive em reunião com Ministério da Educação pedindo a implantação do curso de Direito na Unir de Vilhena, e há uma grande chance de trazê-lo”, destacou a parlamentar.

Jaqueline finalizou pedindo que a população continue acreditando em seu trabalho e no desenvolvimento do país.

 

 

sicoob credisul

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO