Queimada 728×90

Identificada com as iniciais N.O, uma gestante entrou em contato com a redação do Extra de Rondônia, no final da tarde desta terça-feira, 8, para denunciar a falta de material e medicamento no Hospital Regional de Vilhena.

Moradora de Chupinguaia, ela está internada há três semanas na unidade de saúde e considerou a situação como “caótica”.

Ela denunciou a falta do medicamento Noripurum e “jelco”, que é uma agulha usada para administração de soro fisiológico e outros remédios que caem na corrente sanguínea.

“Todos os dias tenho que comprar esse remédio e tomar na veia. Não tem aqui. Está difícil. Meus braços estão todos furados, roxos; minha veia e de várias pacientes mal aguentam um jelco 22 e ainda querem pôr aquele jelco de transfusão de sangue na gente, muito desumano isso. Porque temos que passar por tanto sofrimento?”, desabafou, permitindo que imagens sejam mostradas (VEJA ABAIXO).

O Extra de Rondônia deixa espaço à disposição da direção do HR para eventuais esclarecimentos do caso.

 

Texto: Extra de Rondônia

Fotos: Divulgação

 

segurança – 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO