Estamos em guerra 728×90

 

Aline Leon / Foto: Divulgação

Durante o período de pandemia, é notável um aumento no número de casos de violência doméstica contra mulheres em diversas regiões do país.

É justamente com o objetivo de fortalecer o enfrentamento a esse tipo de violência em Vilhena, que a professora Aline Leon, do curso de Direito da Unesc, elaborou um projeto lei para disponibilizar canais interativos de atendimento integrado com a realidade atual, reforçando políticas públicas no enfrentamento a violência doméstica no âmbito municipal.

O Projeto Margaridas contou com o apoio do vereador Rogério Golfetto, que o apresentou à Câmara de Vereadores de Vilhena. Nele é previsto a implementação de canais exclusivos de atendimento e medidas emergenciais, durante a vigência do estado de calamidade pública em razão da pandemia ocasionada pelo novo coronavírus.

Os canais, incluindo telefone e WhatsApp, devem permanecer disponíveis 24 horas por dia, durante os sete dias da semana com o objetivo de atender e orientar as vítimas que
estão passando por violência doméstica.

“Tendo em vista a uma taxa maior de incidência aos finais de semana, é importante aumentar os canais e as linhas de apoio administradas pelo governo e também pela sociedade civil, facilitando o atendimento às vítimas e assim também coibindo agressões”, destacou a docente da Unesc, Aline Leon.

Projeto Margaridas contou com apoio do vereador Rogério Golfetto / Foto: Divulgação
Estamos em guerra 468×60

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO