Elenir Salete Zilli, 52 anos / Foto: Extra de Rondônia (arquivo)

Circula em vários grupos de aplicativos de mensagens de Vilhena e região uma mensagem de áudio com trecho editado de uma suposta conversa entre a vereadora Elenir Salete Zilli Gonçalves (PSC), a “Nica Cabo João”, com uma pessoa aparentemente oferecendo favores em troca de algum tipo de serviço.

A gravação só tem um dos lados da suposta conversa, apenas com a voz que seria da vereadora, sem que se disponibilizem as respostas da interlocutora.

A parlamentar pergunta se a outra já foi chamada para assumir cargo obtido em concurso, ou se precisaria “mexer os pauzinhos” para que isso aconteça.

Em seguida, ela fala que se a pessoa não for chamada para assumir o concurso “eu posso ver alguma coisa pra te ajudar”.

A conversa prossegue com a voz dizendo que se a pessoa for chamada para assumir a vaga do concurso “aí não adianta, porque você não poderá ter portaria, por dois anos, por estar em estado probatório e vai pra assistência, e eu preciso de uma pessoa aí na frente, pra resolver as coisas pra mim”.

A gravação termina com a voz que seria da parlamentar com a seguinte frase: “Eu quero te ajudar e aí já juntava as duas coisas: eu te ajudava e você me ajudava, mais do que você me ajuda, tá bom nega”.

O áudio circulou num grupo de notícias neste domingo, 8, e foi dito que se tratava de uma “brincadeira da vereadora”, que a história já estaria circulando no meio da imprensa há vários dias, e que Nica estava preparada para processar quem usasse a história para fazer matéria.

A reportagem do Extra de Rondônia tentou falar com Nica sobre o caso. Através de sua assessoria, a vereadora confirmou ter conhecimento do assunto, porém declarou que não irá se manifestar sobre o caso neste momento.

 

sicoob credisul

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO