Foto: ilustrativa

“Censura Nunca Mais!”. A frase, criada por esquerdistas, teve grande valor no país inteiro, durante todos os anos pós governo militar. Era um dos gritos de liberdade, que representava o anseio de grande parte da população brasileira. E a frase valeu desde a abertura, no início dos anos 80 e até há dois anos atrás, quando o poder no país saiu do discurso da esquerda e quedou-se para a direita.

A partir dali, o “Censura Nunca Mais!” foi esquecido, porque a censura prévia voltou com toda a força, agora vinda de capa preta e toga e aqueles que tanto defendiam a liberdade de ação e pensamento, esqueceram-se do que pregavam.

O criador se voltou contra sua criatura. Agora a censura pode e deve ser aplicada em todas as suas nuances, inclusive contornando cláusula pétrea da Constituição brasileira, adequando-se ao discurso daqueles que as urnas mandaram para fora do poder e que não aceitam a derrota. Mesmo que, para tomarem o poder novamente, tenham que usar todos os métodos espúrios e ilegais para fazê-lo. Tudo menos enfrentar o inimigo numa eleição limpa, daqui a pouco mais de um ano e meio.

O problema é que, apesar das pesquisas fajutas, das mentiras, dos ataques vindos de todos os lados, da aliança feita com o STF e TSE, a esquerda só tem alguma chance de chegar ao poder pelo golpe. Sabe que não voltará tão cedo se entrar numa eleição limpa e sem qualquer suspeita de sacanagem.

A censura, dura e perigosa, que hoje aqueles que a aplaudem, podem ser as vítimas do amanhã, é um câncer de que a sociedade brasileira tinha se livrado. O livre pensar, o livre falar, o livre contestar, o livre protestar era uma conquista que, imaginávamos, jamais perderíamos.

Engano. Com aplausos da esquerda, aquela mesma que berrava pela liberdade, ministros das cortes superiores “adaptaram” a Constituição às suas ideologias pessoais e o que era livre passou a ser criminalizado. E a censura caminhou – sempre sob aplausos ou silêncio cúmplice do esquerdismo, da OAB, da ABI e de tantas outras instituições – para atacar, hoje, os direitistas, em seus blogs, sites e postagens na internet. Amanhã, dependendo de quem estiver no poder, chegará a esses idiotas, que acham que a censura só atinge seus adversários.

A ditadura da toga está implantada no país, via tribunais superiores, deixando a liberdade  como uma falácia na política nacional. Sem serem eleitos, os golpistas estão nos governando e dizendo o que podemos ou não podemos fazer, pensar, gritar pelas ruas. Aqui neste espaço, onde tanto se tem defendido a multiplicidade de ideias, orientações e cores ideológicas, há o temor de que tudo isso que está acontecendo, piore ainda mais. Estamos sem saída. Ou concordamos com tudo o que está acontecendo ao nosso Brasil, nos aliando a eles ou nos calemos. Estamos, lamentavelmente, sob nova censura. Vai piorar, é claro!

BOLSONARISTAS TÊM MAIORIA NA DISPUTA PELO GOVERNO. CONFÚCIO É O MAIOR OPOSITOR

Na disputa pelo Governo de Rondônia, no ano que vem, o eleitorado ficará ao lado de quem é a favor ou contra o presidente Jair Bolsonaro? Embora ainda seja muito cedo para definições, é certo que, nesta terra de Rondon, o Presidente que vai tentar chegar às urnas, para um segundo mandato, ainda tem um alto índice de apoio.

Pelo menos três possíveis candidatos ao Palácio Rio Madeira/CPA são da base aliada de Bolsonaro: o governador Marcos Rocha, parceiro de primeira hora; o senador Marcos Rogério, hoje um dos principais aliados no Congresso e o ex-governador Ivo Cassol, que está prestes a voltar às lides políticas.

Caso seja candidato, o prefeito Hildon Chaves deve representar os tucanos, claramente em oposição ao atual governo federal. Há também outro nome poderoso, com discurso totalmente de oposição a Bolsonaro. Ninguém menos que o senador e ex-governador Confúcio Moura, que, sem dúvida alguma, será candidatíssimo em 2022. Claro que eventuais nomes da esquerda (como o da ex-senadora Fátima Cleide), serão oposição, na disputa pelo governo. Léo Moraes, que está também na relação dos pré-candidatos, é e será oposição a Marcos Rocha, mas dirá ao eleitor que é da base aliada de Bolsonaro. Vamos ver, lá na frente, se esse quadro continuará o mesmo, já que, em política, as coisas mudam quase todos os dias…

TRE CASSA MANDATO DE GERALDO DA RONDÔNIA, MAS AINDA HÁ RECURSO AO TSE

O terceiro deputado da atual legislatura que pode perder sua cadeira é Geraldo de Rondônia, outro representante de Ariquemes no parlamento rondoniense. Geraldo, que já se envolveu em vários problemas, muitos deles na área policial, teve seu mandato cassado pelos desembargadores do Tribunal Regional Eleitoral na última quinta-feira.

O motivo: abuso do poder econômico e falta de comprovação de dinheiro recebido na sua campanha. A decisão, contudo, não é definitiva, já que o parlamentar pode recorrer ainda ao TSE. O assunto, portanto, deve prosseguir por mais alguns meses, até que haja uma posição final.

Dois dos atuais deputados já foram cassados em definitivo, um pela Justiça Eleitoral (Aélcio da TV, já substituído por Ribamar Araújo) e Edson Martins (cuja cadeira será ocupada por Saulo Moreira). Agora é a vez de Geraldo de Rondônia entrar nesse rol. Seu suplente é o também deputado estadual de mandato único, Jesuíno Boabaid. A cassação do mandato de Geraldo de Rondônia foi decidida por unanimidade dos desembargadores presentes à sessão.

CEPA INDIANA CHEGA EM MANAUS E ASSUSTA AUTORIDADES DA SAÚDE DE RONDÔNIA

Até a sexta-feira, eram apenas seis casos os detectados, em Manaus, da cepa indiana do Coronavírus, uma das mais passíveis de contágio e que já matou pelo menos 140 pessoas no Brasil. Mas apenas isso já serviu de forte alerta para as autoridades da saúde pública do Estado.

O secretário Fernando Máximo percorreu a mídia e divulgou vídeos nas redes sociais, anunciando medidas preventivas, como barreiras sanitárias no aeroporto, na fronteira com Vilhena, na rodoviária e no porto da Capital. Mesmo assim, sabe-se que é muito difícil controlar a doença, quando ela chega com força em alguma região.

Ao mesmo tempo em que tomou decisões no sentido de controlar o vírus antes que ele chegue com força total a Rondônia,  Máximo também apelou novamente para que as pessoas que tomaram a primeira dose da vacina, procurem se vacinar com a segunda dose o mais rápido possível. Está comprovado que as vacinas – principalmente a Astrazeneca  e a Pfizer – são importantes para que a cepa Delta, vinda da ìndia, não atinja o organismo das pessoas contaminadas com força. Ele disse, inclusive, que a Coronavac também ajuda, embora sua contenção sobre o vírus possa ser de menor intensidade.

Quem está imunizado com as duas doses tem grande chance de conseguir superar o vírus indiano.

SOMOS OS PRIMEIROS A VACINAR ADOLESCENTES A PARTIR DAS 12 ANOS DE IDADE

A chegada de mais 58.750 doses de vacina ao Estado, na sexta, coincidiu com o anúncio feito pelo governo do Estado, autorizando a vacinação de adolescentes entre 12 e 17 anos, que tenham algum tipo de comorbidade, nas cidades onde a população de 18 anos ou mais já foi imunizada.

Em Porto Velho, por exemplo, a imunização para este público, apenas com a vacina da Pfizer, já começou na manhã da sexta, na Fimca, onde estão sendo aplicadas as primeiras doses de outros imunizantes também.

Rondônia é o primeiro Estado do país a autorizar vacinas a partir dos 12 anos. Em algumas outras regiões, elas foram autorizadas a partir dos 14 anos. A vacinação ocorreu também no Porto Velho Shopping, durante a sexta e o sábado. Os menores que forem se vacinar, precisam estar acompanhados dos seus pais e há necessidade de apresentar documento comprovando a comorbidade.

Com as doses chegadas no final de semana, Rondônia já recebeu 1 milhão 660 mil vacinas. Foram aplicadas, até o final de semana, 1 milhão e 241 mil doses. Mais de 360 mil foram da Pfizer, a única que será utilizada para vacinar menores entre 12 e 17 anos.

IEDA CHAVES FALA DE AÇÕES SOCIAIS E DAS BICICLETAS NO DIA DA CRIANÇA

Mesmo em tempos de pandemia, ações sociais comandadas pela primeira dama da Capital, Ieda Chaves, ajudaram milhares de pessoas carentes, principalmente entre aqueles que ficaram desempregados e as famílias mais necessitadas.

No período da vacinação, uma campanha de arrecadação de alimentos também ajudou muito, na distribuição de cestas básicas aos carentes. A campanha, aliás, continua, agora com pedido de apoio de quem se imunizou, mas não colaborou ainda, que possa fazê-lo, com doações nas portas de supermercados da cidade.

O próximo grande evento que está sendo preparado, é a comemoração do Dia da Criança. Iniciativa de Ieda Chaves já chegou a reunir 72 mil pessoas, num evento com público jamais superado, durante o primeiro mandato do seu marido. Agora, mesmo com a pandemia, a festa se repetirá, mas sem público. Serão sorteados vários brindes, incluindo algo em torno de mil bicicletas, mas através de sorteio em uma Live, via redes sociais, que está sendo organizada.

Há ainda vários projetos sendo estudados, mas que dependem também da volta à normalidade, pós Covid 19. A atuante Ieda Chaves não para de trabalhar nos projetos sociais da Prefeitura e relatou alguns deles numa entrevista ao programa Papo de Redação, da Rádio Parecis FM, nesta sexta-feira.

DONO DA CADEIRA, ACIR APOIARÁ DANIEL PEREIRA AO SENADO, EM 22?

A relação de pré candidatos ao Senado, na única vaga disponível para Rondônia, será uma das mais acirradas. Estarão na disputa, entre outras possibilidades que ainda sem dúvida vão aparecer, nomes como o do bom de voto Expedito Júnior, do ex senador e ex-ministro Amir Lando; da deputada federal Jaqueline Cassol; do líder do agronegócio do Cone Sul, Jaime Bagattoli e, ainda, do ex-governador Daniel Pereira. Ele, inclusive, espera por um apoio importante: ninguém menos do que o detentor da única cadeira em disputa.

Daniel e Acir Gurgacz têm feito parcerias importantes na política e o apoio do líder do PDT no centro do Estado seria de grande importância para o ex-governador, hoje superintendente regional do Sebrae. É improvável que os pedetistas lancem nome próprio ao Senado e o apoio a Daniel Pereira seria natural. Já o PT ainda não se mexeu sobre o assunto. O nome de maior peso do partido no Estado, a ex-senadora Fátima Cleide, ainda não definiu se vai ou não entrar na corrida eleitoral do ano que vem.

UM ATO DE BOM SENSO: BOLSONARO VETA FORTUNA PARA FUNDO PARTIDÁRIO

Enquanto a Câmara Federal aprova leis em benefício dos partidos políticos e contra os interesses do país, como a volta das coligações e dos balcões de negócios dos nanicos, há pelo menos uma luz no fim do túnel. No Senado, vários membros já avisaram que vão votar contra essa excrescência.

Um deles, que veio a público se pronunciar, foi o rondoniense Confúcio Moura, do MDB. Outro alento foi a decisão, óbvia e de bom senso, do presidente Jair Bolsonaro, de vetar os vergonhosos 5 bilhões e 700 milhões de reais, aprovados pelo Congresso, para o fundo partidário.

O veto foi confirmado e agora a equipe econômica negocia com os parlamentares uma verba de cerca de 2 bilhões e 100 milhões, que ainda é um abuso, mas ao menos não é mais a bofetada na cara do país, que estava sendo encaminhada.

O Congresso ainda pode derrubar o veto e manter os quase 6 bi da vergonha! Omisso nas questões vitais do país, como por exemplo, as decisões antidemocráticas e inconstitucionais de ministros do STF, nosso Congresso consegue quase um milagre: ser pior do que o anterior. Uma tristeza.

PERGUNTINHA

Você sabia que a última vez que choveu em Porto Velho foi em 18 de julho, a exatos 34 dias e que desde lá enfrentamos uma grande seca, piorada com as terríveis queimadas?

sicoob credisul

COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu.

A DIREÇÃO